XADREZ MEMÓRIA

Xadrez de memórias, histórias e (es)tórias, de canteiro, de sussurro, de muito poucos...

03/08/14

BALANÇO E...






Abriu em 16 de abril de 2009, teve o seu antepenúltimo post em  18 de abril de 2014, como tal 5 anos de vida. Muitos? Poucos? Não me interessa. Interessa o que o Xadrez Memória significou para mim até agora, o zelo, empenho e trabalho árduo que coloquei em muito que escrevi. 

Valeu a pena? Para mim, sim, claro, para o resto da comunidade Xadrezística nomeadamente portuguesa, não sei, nem estou muito interessado em saber. As estatísticas do blogue podem dizer alguma coisa…ou não. Que sou mais visitado e lido por xadrezistas brasileiros, isso é uma certeza que nem me admira muito. Costumo dizer à laia de “blague” que não conheço a comunidade xadrezística portuguesa, nunca me foi apresentada, nem quero que me seja apresentada. Quero lá bem saber do que pensa muita gente do Xadrez Memória! 

Alguém comentou que escrevo um pouco acima da média da cultura do xadrez em Portugal, mas com esta idade “já com riquezas vãs não me iludo” ! Nem sei bem qual é a cultura nem média nem alta da maioria dos jogadores de xadrez português! Agora sabem qual é a minha opinião sobre xadrez português vai para muitos anos: Xadrez pobre, medíocre, com dirigentes entre o tasco e a indigência, jogadores que não jogam nada de nada de xadrez – um boi de xadrez como se diz no norte- mas é tão giro-acham que sim que jogam muito, que têm muito talento, Clubes engraçados de “mama subsidiária” que quando acaba mirram, Clubes de decoração autárquica, algum mercenarismo entre o ingénuo e o aproveita que em terra de cegos quem tem olho é rei, cultura de xadrez um pouco abaixo do da batata, ou do bordado xadrez, pantomineiros cadastrados em cargos dirigentes federativos ou associativos, jjpqnvln ( jovens jogadores portugueses que não vão a lado nenhum) porque relapsos ao estudo, à cultura do xadrez, à reflexão sobre si próprios e o seu jogo- considerando-se cheios de talento, de inspiração, autênticos fadados do tabuleiro – falhados do mesmo quero dizer, mas que depois fazem reciclagem para falhados dirigentes, porque lhes falta o amor ao xadrez, o profundo do xadrez, e zás, a modalidade completamente estagnada, à mercê dos salvadores da pátria, porque senão era o caos em eles. Coitados, alguns jovens tão velhos já que nem honra trazem à velhice!


Mas nada disto é novo para quem me conhece. Quero lá bem saber do Xadrez português! Não é ressabiamento, nem raiva, nem coisa nenhuma, não quero saber, pronto! Olhe-se para o xadrez português nas páginas Web e comparece-se com sites brasileiros, ou por exemplo com  o Ajedrez de Ataque do meu amigo Javier Cordero, ou outros internacionais e a nossa dimensão está à vista.  Que nem sou “linkado” na maior parte dos sites do xadrez português? Chiça, que alívio! Give me a break!  Nem pela malta do meu clube sou lido! Chateado porquê? Então um “maduro” abre uma página para ler umas coisas estranhas sobre nomes como Vitolinsh, ou Simagin, quando isso nem interessa, nem sequer vão ser emparceirados com eles numa próxima sessão de um Suíço, bolas! Então um “Jove” talento, marrador profissional de teoria de dados basística com variantes, subvariantes, subdesubvariantes, quer lá saber de gajos chamados Spassky, ( Ah! O Piço que foi estralhaçado pelo Fischer!), Bronstein,  ou Rubinstein ( finais para quê? Eu sou tão bom, tão bom que rebento com os gajos antes dos finais! ).


Assim, escrevo para mim e para um grupo restrito , muito restrito de amigos de xadrez de longa data, blogue de canteiro, de sussurro, de muito poucos como escrevo na introdução. Assim será, assim irá continuar sem egoísmos, sem esconder nada. Uma alegria para mim quando numa pesquisa no Google lá aparecem em tamanho generoso as minhas fotos de peças, ou capas de livros de xadrez, ou referências quase únicas a um Kupreichik, Tseitlin, entre outras. Uma alegria quando no youtube e pela primeira vez no assunto, alguém disponibilizou em imagens quase toda uma história dos jogos de xadrez soviéticos. Um mãos largas, o que sou, para que as coisas do xadrez, algumas coisas da cultura do xadrez não fiquem nas mãos de uns poucos privilegiados ou nos sótãos poeirentos à espera de melhores dias.
Em setembro mais novidades quer relacionadas coma História do xadrez português, quer com livros de xadrez ( não , não vai ser sobre os Idiotas “ How to smash”, ou “How to win with”, ou the “KIller Program”, ou merdelins afins para sobrevivência de GM de aviário e de outros confins!), peças de xadrez, grandes jogadores esquecidos, etc, etc.

Assim, porque me fui esquecendo de muitas etiquetas, outras porque me perdi nelas, aqui vai um balanço do que está no Xadrez Memória. 



Xadrez Português
Concursos
Partidas Comentadas
Peças Xadrez
Vídeos
Torneios
Fotografias
Livros Xadrez Bibliografias
Mulheres e Xadrez
Xadrez e Cultura

Jogadores Internacionais : Lasker, Spassky, Fischer, Tal, Spielmann, Kupreichik, Filip, Gligoric, Damjanovic, Lilienthal, Padevsky, Klovan, Vitolinsh; Mark Tseitlin; Kasparian; Simagin;

Jogadores Nacionais : Cordovil, Durão, Mamede Diogo, Walter Tarira, Dagoberto Markl, Rui Nascimento, Martinho Lopes, Dâmaso, Victor Silva, Álvaro Machado, André Sousa, António Russo; Mário Marques

Torneios: Nacional Juniores Figueira Foz 1975, Camp.Nacional Absoluto 1978, S. Petersburgo 1914

Bibliografias:Lasker, Fischer, Spassky, Lilienthal, Kupreichik, Vitolinsh, Fred Reinfeld; Vitolinsh; Simagin;

Cultura Xadrez e cinema, Xadrez e Filosofia para crianças, , Cecília Meireles, Irene Lisboa, Ilda David, Ondina Braga, Manuel Fernando Gonçalves, Mário Marques; Arlindo Vieira; Oscar Brenifier e Jacques Desprès; Mário Henrique Leiria, João Miguel Fernandes Jorge e Jorge Pinheiro, David Lean



Peças XadrezHavana 66; Peças Russo-Soviéticas , Peças Plásticas portuguesas, Peças Madeira portuguesas; Raridades


16 Abril 2009 abertura

Fischer Morte – vídeo
Fischer Bibliografiamania
Cordovil –Livro Fischer Spassky
Fischer – Munoz 1
Fischer- Munoz Partida comentada
Fischer –Naranja gosto de Fischer por colocar a D em e5
Xadrez- Corte das Cruzes Reis-Relativização culturas
Miroslav Filip- com partida comentada
Sobre o logo do blogue-xadrezistas passado
Xadrez e outros blogues que sigo
Martinho Lopes Partida comentada e outras partidas
Campeonato Nac Xadrez 1978 Memória
Xadrez e Fotografias minhas Mãos
Walter Tarira artigo com vídeo
Walter Tarira artigo
Artigo do Eduardo Monteiro
Mamede Diogo com Partida comentada
Peças tabuleiro Havana 66
Poetaço meu contra o xadrez português
Lasker1
Lasker2 Bibliografia
Lasker3
Lasker Eman and Edward Livro e partida comentada
Fred Reinfeld e partida Lasker Question and answers
Dagoberto Markl
Lasker Burn introdução
Lasker Burn -  Partida comentada
Lasker Filme vídeo feito por mim
Lilienthal na sua morte
Lilienthal 2 Soviet chess+partida comentada
Lilienthal 3 partida comentada com Romi
Spraggett Concurso
Sirgado Livro do Philidor
Xadrez e cinema 1 concurso + soluções
Xadrez e cinema 2 concurso
Xadrez e literatura Cecília Meireles
Xadrez e Literatura -  Poesia
Fotos minhas concurso
Cam Nac Juniores Figueira Foz 75 1
Cam Nac Juniores Fugueira Foz 75 2
Spassky com bibliografia
Spassky 2 com filme vídeo meu
Spassky 3 com partida comentada Spassky-Unzicker (Piatigorsky Cup)
Spassky – Larsen partida comentada (Piatigorsky Cup)
Spassky – Donner Partida comentada (Piatigorsky Cup)
Spassky – Shamkovich partida comentada ( marimon e Chess Stars)
Eu E Xadrez no You tube
Vídeo no Youtube  com fotos minhas de xadrez
Vídeo no YouTube com as minhas peças de xadrez
Klovan, Janis com partida comentada
Tal Fotografia Ol Leipzig
Tal Fotografia Olhar hipnotizador
Tal Fotografia  Olhar Hipnotizador com Padevsky Com partida comentada
Tal Durão Partida comentada
Padevsky e eu
Leipzig fotos de Padevsky e Durão
Fotos de Jovens Jogadores internacionais Concurso
Fotos de Jovens Jogadores Portugueses Concurso
Kennet Rogoff
Durão 80 anos
Nanjing e Clássicos
Nanjing e Finais pessimamente jogados
Kupreichik 1 com vídeo
Kupreichik 2 com 5 partidas comentadas
Kupreichik 3 com 3 partidas comentadas
Kupreichik 4 com 1 partida comentada
Kupreichik 5 com 2 partidas comentadas
Kupreichik 6 com 4 partidas comentadas
Kupreichik 7 com bibliografia
Lástimas Tristezas do Xadrez port António Russo
Xadrez Beleza Feminina e Irene Lisboa
Mestre Cordovil e novo Blog dele com partidas 2 comentadas
Ebay e compras de xadrez e Ebay vigarices’ Ebay e foto de J.M Ribeiro
Damjanovic na sua morte
Kupreichik – Dâmaso partida comentada
Álvaro Machado com 2 partidas comentadas
André Ventura Sousa GXP 2 partidas comentadas
Xadrez e grandes Historiadores de Xadrez
Torneio Xadrez S. Petersburgo de 1914 com partida comentada e bibliografia
Peças Xadrez Russas S. Petersburgo
Peças Xadrez Soviéticas 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7,
Peças Xadrez Soviéticas Vídeo
Vítor Silva Concurso Foto
Jovens jogadores internacionais concurso
Gligoric com vídeo
Spielmann  Melodia Inacabada1 com partida comentada
Spielmann  Melodia Inacabada2
Rui Nascimento na sua morte
Folhetos anos 70 terna memória
Ficou em 8-11-2012
Shit chess
História das Peças Plásticas de competição em Portugal 6 Artigos separados
Gligoric na sua morte
S.Petersburgo 1914
Ebay e xadrez
Mulheres e xadrez-beleza no tabuleiro
Xadrez e fotografia (minhas)
Vitolinsh – romamce de últimos momentos
Vitolinsh- 2 partidas comentadas
Mário Marques – Romance “No Reino de Caissa”
Sisniega, Marcel- Biografia e partida comentada
Peças de Xadrez estranhas-Toddy Box e Fósforos
A Minha Biblioteca de Xadrez-Vídeo
Poesia-Requiem por um xadrez
Crianças, Filosofia e Xadrez- Oscar Brenifier e Jacques Desprès
Xadrez e Política-Resistência
Xadrez, Surrealismo, Literatura-Mário Henrique Leiria
Xadrez e Poesia-João Miguel Fernandes Jorge e Jorge Pinheiro
Xadrez e Cinema-David Lean
Mark Tseitlin – biog e 5 partidas comentadas
Vladimir Simagin – Biog e 6 partidas comentadas e Bibliografia
Kaspasryan-Biog e 3 partidas mais alguns Estudos
Perplexidades-Campeonato Europeu de Veteranos
Xadrez e material – Mesa e cadeiras antigas 
Centenas e centenas de fotos.

Como nas caixas de correio, por favor aqui não, , com todo o respeito pelas ditas:


 
 Abraço para todos e Boas Férias, sempre com xadrez ( nem que seja com uns "mates" olímpicos!)

















18/04/14

XADREZ, CINEMA, QUEM QUISER...responda

Aí está outro dos meus "enigmas"- brincadeiras que de vez em quando costumo fazer no Xadrez Memória para os entendidos de cinema e nos filmes em que o xadrez aparece como pano de fundo, cenário, ou trama mesmo do filme. Neste blogue já coloquei alguns, e nem muito, pouco, ou nada entendidos responderam. Claro que o que coloquei não era nada, nada fácil, porque muito longe do comum em sites de xadrez com referências ao cinema. Não que os filmes e realizadores não fossem de renome, mas sim porque em relação ao xadrez-cinema, os sites, blogues de xadrez estão cheio de lugares-comuns, de imagens dos mesmos filmes, das mesmas referências. Já chateia.
Hoje, algumas imagens de um belíssimo filme que não digo. O Jogo de xadrez aparece em duas cenas por alguns minutos. Se conhecerem o ator (res) chegarão lá, se tiverem um bocadinho de conhecimento de história das peças de xadrez, também poderão " levar a carta a Matilde!", se não conhecerem, não é nada fácil e na Net são quase inexistentes estas imagens do filme com referência ao xadrez.
Assim, a que filme corresponderão estas imagens? 









13/04/14

OFERENDA - Fernandes Jorge, Jorge Pinheiro e mais...

E só no fim xadrez como transfiguração...

Um livro que é uma pérola de concepção, de edição, de amor pelo livro. Só o podia ser com o desvelo e categoria  desse grande editor-livreiro portuense que é o José Cruz dos Santos e a sua "Modo de Ler". Desde a Editorial Inova passando pelo Oiro do Dia, que a cultura, a sensibilidade, o bom gosto e o amor aos livros em geral e à literatura e edição em particular de José Cruz dos Santos é reconhecida nos meios de uma certa cultura portuense ( não aquela de fachada, festivaleira, parola, entre o pseudo intelectual pimba jovem e o senil-patético turístico modo de se ser). 

Um prazer e uma aprendizagem constante com este Homem, sempre que com ele me cruzo em conversas de livros e literatura no seu refúgio de Guilherme Gomes Fernandes. Foi ele que mo sugeriu. E que sugestão! Um livro magnífico com reproduções lindíssimas de pinturas (35) de Jorge Pinheiro e reflexões poéticas de João Miguel Fernandes Jorge sobre essas mesmas pinturas. Nem sempre um grande pintor e um grande poeta dão um bom livro,  neste caso deram, não bom , mas um livro maravilhoso estética e poeticamente falando.
Publicado em 2012, de edição limitada, dedicado à memória de Eugénio de Andrade e de Ângelo de Sousa, guardo-o como tesouro num jardim-canto da minha biblioteca onde só eu sei.

No poema XVIII, Inspirado no álbum " Quinze ensaios sobre um tema ou Pitágoras jogando xadrez com Marcel Duchamp" (1970-74), J.M.F. Jorge reflete sobre o tempo, os corpos reais e abstratos, sobre a transfiguração do xadrez como expressão do silêncio, do momento.





Jorge Pinheiro




XVIII
Gotas de sangue e o esperma de
um deus mutilado por Cronos pontuam o
firmamento e caem sob o
harmónico som dos astros

passam os dias e as noites - o
medidor no visível das unidades corpóreas
e logo abstractas

*

Junto à mesa branca sentaram-
-se no jardim, vindo dos mortos, ao calor das
horas - as figuras ardiam no fulgor do verão
e sobre o homem de Samos e o de Blainville
movia-se o ramo da bétula negra

 sem suor e sem voz
 o rei e a rainha o bispo o cavalo e logo o
peão eram coisas sensíveis, de pórfiro
verde

jogadas pelo bater do sufocante meio-dia -
    sobre eles o silêncio de um ramo, causador de todas
 as coisas.


João Miguel Fernandes Jorge